Líderes do BRICS querem cooperação mais intensa em investimentos e exportações

0
46

Durante dois dias, na quinta e nesta sexta-feira (14 e 15/3), Curitiba foi o centro das discussões do grupo BRICS, formado pelo Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. O Salão de Atos do Parque Barigui recebeu os líderes conhecidos como sherpas, encarregados de alto nível dos BRICS nas respectivas chancelarias.

Um dos assuntos tratados foi uma proposta de cooperação mais intensa e estruturada entre as agências de investimentos, exportações e comércio dos países do BRICS. Esse será um dos temas levados para a XI Cúpula de presidentes, que vai ocorrer em Brasília no mês de novembro.

A reunião em Curitiba marcou o início da presidência de turno do Brasil à frente ao BRICS. Neste primeiro encontro de trabalho do ano foram apresentadas as prioridades do Brasil e ouvidas as demandas dos demais integrantes do grupo. Tudo o que será feito ao longo deste ano foi debatido nos dois dias de reunião no Salão de Atos.

Entre os assuntos prioritários do Brasil estão ciência, tecnologia e inovação. Os representantes dos países também discutiram a cooperação em segurança, ações anticorrupção, contraterrorismo e ações na área da saúde.

“A cooperação do grupo envolve temas que podem parecer remotos, distantes às pessoas, mas também reúne vertentes de direto e imediato interesse para todos os cidadãos que moram nos países do BRICS”, explicou o embaixador Norberto Moretti, representante do Brasil no grupo.

Conexão com o mundo

O encontro internacional do BRICS trouxe cerca de 55 representantes diplomáticos para Curitiba. Segundo o embaixador Moretti, todos saíram impressionados com o planejamento urbano, a limpeza, os parques e a qualidade de vida que viram na capital paranaense.

“Curitiba é reconhecida há muitos anos como uma cidade inovadora. Encontrou soluções em várias áreas que se mostraram úteis em tantos outros contextos e países. Uma cidade que continua a inovar”, disse Moretti.

O embaixador brasileiro conheceu o Worktiba Barigui, que fica ao lado do Salão de Atos onde aconteceram as reuniões do BRICS. “Soluções simples podem ter um impacto positivo na vida das pessoas. Quando há vontade e disposição do poder público para responder essas necessidades há muito resultado. E é isso que a atual administração municipal tem feito”, disse Moretti.

Para o assessor de Relações Internacionais da Prefeitura, Rodolpho Zannin Feijó, a reunião feita em Curitiba terá vários impactos futuros para a cidade. “As decisões que foram tomadas aqui vão impactar o produtor paranaense e o empresariado curitibano também. Esses acordos trazem alterações em toda ordem do comércio internacional”, disse Feijó.

A cidade também sai fortalecida após os dois dias do encontro internacional. “Curitiba dá um passo adicional para entrar, cada vez mais, no mapa do mundo e abrir oportunidades de cooperação com essas economias internacionais”, definiu o embaixador Moretti.

Com Agência de Notícias da Prefeitura Municipal de Curitiba

DEIXE UMA RESPOSTA