O INFERNO (Esquerda) e o PARAÍSO (Direita)

0
18
 
Como tudo é gradual, desde as diferentes situações de bem estar e de sofrimento físico, mental, emocional e espiritual, mais ou menos nos dividimos entre o inferno (esquerda) e o paraíso (direita).
 
Tanto o paraíso (direita) quanto o inferno (esquerda) possuem acomodações de primeira, segunda, terceira classe, e até de quinta ou vigésima categoria.
 
Um paraíso pode ser fiscal ou tropical, porém, o mais elevado é o celestial.
 
O fiscal é onde os políticos que roubam o nosso dinheiro, os afortunados, os ricos e os trilhonários do planeta têm suas economias e contas bancárias. E aí temos Uruguai, Suiça, Singapura, Luxemburgo, Ilhas Cayman, Mônaco, Monte Carlo, etc.
 
O tropical se divide entre as praias do nordeste brasileiro,
Cancun, Caribe, Mares do Sul, Havaí, Bahamas, etc.
 
E o celestial , para onde vão as almas dos bem aventurados depois de cumprirem a sua missão neste mundo, que podem ser ricos ou pobres, desde que possuam os créditos espirituais e as virtudes necessárias.
 
E depois temos o inferno ou a esquerda propriamente dita.
 
A primeira classe do inferno (ou esquerda) é onde se tem um sofrimento mais leve. Geralmente é habitada por pessoas idosas, com problemas de saúde, cuidadas por seus familiares.
 
A segunda e as demais classes vão gradualmente se intensificando em sofrimento.
 
Aí temos, por exemplo, o convívio difícil, no chamado estado democrático de direito, com amigos que professam outra ideologia ou pertencem a outro partido de direita ou esquerda e pensam de modo politicamente diferente; pessoas que torcem para outro time e gostam de ficar tocando flauta e infernizando a vida dos que se importam com isso; as relações de trapaça, acordo e traição entre os políticos e seus eleitores; pessoas difíceis de lidar, que podem ser parentes ou inimigos, e com as quais vivemos em permanente conflito, etc.
 
E a seguir os círculos do inferno terrestre vão se tornando cada vez mais insuportáveis, como as áreas do planeta que vivem em permanente estado de conflito ou de cataclismo (guerras, crises, bombardeios, furacões, vulcões, maremotos, tremores de terra, tsunamis, etc); os ambientes domésticos, sociais ou mesmo profissionais difíceis onde as pessoas vivem pegando do nosso pé e não temos paz; os hospitais públicos; as clínicas psiquiátricas ou manicômios; os asilos; as ruas, onde podemos estar como mendigos, moradores ou residentes dos centros urbanos ou periféricos conturbados habitados por vários tipos de pessoas, onde vivemos apavorados com o risco de sermos roubados, assaltados, torturados ou mesmo assassinados …
 
Portanto, seja qual for a situação (inferno ou paraíso) em que nos encontremos, agradeçamos pela oportunidade desse aprendizado.

DEIXE UMA RESPOSTA