Futebol no mundo

0
25

O futebol é um fenômeno sócio cultural mundial, onde a falta de entendimento histórico com a desinformação do que é o futebol atual faz as pessoas dizerem bobagens. Nada mais encanta e atrai as crianças do que a diversão. No mundo da Indústria Cultural, diversão e consumo interagem de forma concatenada. A diversão gera consumo e cria outra identidade à infância. Ocorre que a diversão, muitas vezes utilizada como uma forma sadia e pedagógica para a aquisição de conhecimento, na Indústria possui outras finalidades: consumo, alienação… massificação, rotulação, condicionando para a falta de opiniões próprias. O espaço, antes destinado à criação, os campinhos, hoje é preenchido por desenhos animados, jogos de vídeo games e outros brinquedos técnicos. Isso é muito diferente para as crianças de periferia, nascedouro dos nossos gladiadores do futebol.

Entretanto, se você olhar bem no fundo, irá perceber que o futebol brasileiro no seu clube do coração são apenas a ponta do iceberg de tudo que há de ruim (e bom) no esporte profissional. Com ele, mesmo que brasileiros abandonem a Seleção, ainda haverá uma legião de torcedores dos jogadores que vestem a camisa canarinho espalhados pelo mundo e que sustentarão essa “paixão”.

NEYMAR

A crítica ao topete do Neymar é preconceituosa com brasileiros pobres, hoje ricos, que nasceram nas periferias deste Brasil tão desigual. Porque não criticam o topete dos outros jogadores, não se julga uma pessoa pela aparência, ele é só um menino que quer ser feliz. Quanto ele ser um jogador cai-cai, é um exagero, todos valorizam uma falta, ele mais ainda porque é um jogador leve e franzino que sente sim mais as faltas, como o Messi, o qual o acusam de amarelar na seleção dele, são jogadores de alto nível técnico que não se ajustam ao futebol de força, onde a caça é suntuosamente desonesta, tipo maldade escolar, de marcadores de quase dois metros. O contrário é Cristiano Ronaldo, além de ser um craque, é mais forte e um atleta, por isso dá show.

RESSACA SUÍÇA

Muita gente elogiou a Suíça, a 6ª seleção no ranking FIFA como se ela fosse um exemplo de conduta para os brasileiros. Ao contrário do que muita gente pensa, os suíços não jogaram melhor que nossa seleção, foram desonestos com um anti-futebol de caça ao Neymar. O que faltou foi uma visão melhor do jogo pelo Tite tirando o Neymar para desmontar o esquema tático do téc. Petkovic. Apesar de serem ricos com um ótimo IDH, os suíços não são um exemplo de ética. A Riqueza da Suíça foi vitaminada pela escravidão. Documentos revelam que banqueiros suíços ganharam muito dinheiro com o tráfico de escravos, diretamente ou financiando expedições para comprá-los. Até a República de Berna aplicou dinheiro em empresa escravista e na proteção de ativos dos milionários e políticos desonestos do mundo. Em Davos é que se encontram os chicoteadores dos pobres. Para desespero dos antibrasileiros, depois deste resultado com a Costa Rica, nossa seleção vai ir mais longe do que imaginam. Ela tem história, é a que tem mais sucesso em todas Copas: 70 vitórias, currículo invejável. Claro que o futebol não resolve nossos problemas, o que resolve é a política, precisamos ser duros, não votando em quem está condenado pela justiça, isso sim seria uma alienante insanidade.

DEIXE UMA RESPOSTA