Prefeitura faz novo leilão de Certificados de Potencial de Construção da Linha Verde

0
117
A Prefeitura de Curitiba levará a leilão, no dia 14 de maio, 30 mil Certificados de Potencial Adicional de Construção (CEPAC), como parte da Operação Urbana Consorciada Linha Verde (OUC-LV). Ilustração:IPPUC

A Prefeitura de Curitiba levará a leilão, no dia 14 de maio, 30 mil Certificados de Potencial Adicional de Construção (CEPAC), como parte da Operação Urbana Consorciada Linha Verde (OUC-LV).  O edital do leilão foi publicado no Suplemento 1, do Diário Oficial do Município nº 72, de quarta-feira, 18/4. (Leia aqui o edital)

O teto de arrecadação deste certame será de R$ 10 milhões (ao custo unitário do CEPAC de R$ 336,00). O leilão será feito pela B3 S.A. (Brasil, Bolsa, Balcão), das 12h30 às 12h45, sob a coordenação do BB – Banco de Investimento S.A., em operação autorizada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A participação no leilão é aberta. Os interessados podem procurar o BB – Banco de Investimento S.A., instituição financeira que coordena a operação, ou as corretoras credenciadas. Mais informações podem ser acessadas pelo site www.curitiba.pr.gov.br/operacaourbana

Este será o terceiro leilão da segunda distribuição pública de Certificados de Potencial Adicional de Construção da Linha Verde autorizada pela CVM.

Na retomada dos leilões da Operação Urbana Consorciada (OUC) Linha Verde, em setembro do ano passado, a Prefeitura de Curitiba vendeu 25,39% dos 30 mil Certificados de Potencial Adicional de Construção (Cepac) ofertados. Com 7.619 comercializados, a venda foi 5,54% maior que a do leilão realizado em junho de 2016.

Desde o início da Operação Urbana Consorciada Linha Verde (OUC-LV), há seis anos, foram realizados quatro leilões (2012, 2014, 2016 e 2017) com arrecadação de R$ 39,5 milhões, com a venda de 175,8 mil Cepacs.

Potencial adicional

Com a aquisição do Valor Mobiliário, o investidor adquire o direito à Área de Construção Adicional (ACA) nos empreendimentos dentro da abrangência da OUC Linha Verde.

Ao longo do eixo da Linha Verde, a Operação Urbana foi dividida em três setores (Norte, Central e Sul) com um potencial adicional de construção equivalente a 4,47 milhões de metros quadrados, compreendendo áreas para usos habitacionais, comércio e serviços.

A divisão da chamada Área Adicional de Construção (ACA) tem no setor Norte 1,28 milhão de metros quadrados disponíveis, dos quais 75% (960 mil m²) para empreendimentos residenciais e 25% (320 mil m²) para não residenciais (comércio e serviços).

No setor Central são 1,27 milhão de m², sendo 60% (765 mil m²) para residências e 40% (510 mil m²) para edificações não residenciais.

No setor Sul são 1,92 milhão de m² de Área Adicional de Construção, sendo 80% (1.535 mil metros quadrados) para habitações e 20% (385 mil m²) para empreendimentos comerciais.

Os três setores somam 4.475.000 metros quadrados de área adicional, sendo 73% (3,26 mil metros quadrados) para habitações e 27% (1,21 mil m²) para o comércio e serviços.

 

** Com INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA - IPPUC

DEIXE UMA RESPOSTA