Prefeitura auxilia deficientes auditivos na inserção ao mercado de trabalho

0
320
Roda de conversas para surdos e encaminhamento para mercado de trabalho na Secretaria especial para inclusão da pessoa com deficiência - Curitiba, 18/08/2017 - Foto: Daniel Castellano / SMCS

A Prefeitura de Curitiba promoveu por meio da Assessoria Especial dos Direitos da Pessoa com Deficiência uma roda de conversa com o objetivo de melhorar a inserção dos deficientes auditivos no mercado de trabalho.

O encontro, que reuniu cerca de 60 pessoas, foi o terceiro do gênero este ano – os outros dois trataram do direitos dos surdos e das políticas específicas para mulheres.

De acordo com a assessora de Direitos da Pessoa com Deficiência do município, Denise Moraes, o tema da empregabilidade é uma das principais demandas deste público, que enfrenta dificuldades para vencer barreiras existentes nas companhias.

Segundo o professor de Libras (a linguagem de sinais) Marcelo Vasicki, poucas empresas estão preparadas para receber pessoas surdas no seu ambiente de trabalho, apesar da lei federal que as obriga a ter pelo menos 5% do quadro de funcionários formado por pessoas com algum tipo de deficiência.

“É comum, após uma entrevista de emprego, as empresas darem retorno por telefone”, exemplificou o especialista, que também é surdo e participou do encontro na sexta (18/8). “Assim elas dizem que tentam cumprir a lei. O ideal seria entrar em contato por mensagem e ter um intérprete de Libras na empresa.”

Michele Kunde, moradora do Sítio Cercado de 33 anos, entende bem esse tipo de dificuldade. Ela procura emprego há um ano, ainda sem ter tido sucesso. “Geralmente as pessoas não têm paciência com quem não pode ouvir”, relatou ela à reportagem, com ajuda de uma intérprete da Central de Libras da Prefeitura.

O serviço faz a intermediação, de maneira regular, das conversas de pessoas surdas em compromissos jurídicos, sócio-assistenciais e de saúde. “Ouço muito pouco. A ajuda da Central é muito bem-vinda”, diz ela.

Encontros
As rodas de conversa promovidas pela Assessoria Especial começaram a ser realizadas este ano e visam fortalecer a comunicação com a população que tem deficiência auditiva. “Já surgiram várias demandas que possivelmente serão aplicadas como política pública”, afirma Denise Moraes.

A Pesquisa Nacional da Saúde, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aponta que 1,1% da população brasileira tem deficiência auditiva. Os dados são de 2013.

A inserção deste público vem sendo debatida há um bom tempo. Em 2006, por exemplo, a Convenção dos Direitos das Pessoas com Deficiência, da Organização das Nações Unidas (ONU) já reforçava a necessidade de combater a discriminação e afirmava que as pessoas com deficiência têm direito integral a todos os direitos humanos e liberdades fundamentais.

 

Serviço
Assessoria Especial dos Direitos da Pessoa com Deficiência
Rua Schiller,159 – Cristo Rei – CEP 80.050-260
Telefones: (41) 3363-5236 / 3262-1330
E-mail: contatosedpcd@pmc.curitiba.pr.gov.br
www.pessoacomdeficiencia.curitiba.pr.gov.br

DEIXE UMA RESPOSTA