Era um garoto que como eu amava os Beatles e Rolling Stones …

0
55
Algumas instituições desempenham um papel importante em nossas vidas e a cada uma delas devemos um pouco de nossa formação cívica, moral e espiritual.
Para mim, uma delas foi a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias ou Igreja dos Mórmons, onde fui batizado aos dezesseis anos de idade, na década de 60.
Nessa época os jovens missionários norte-americanos, como opção para não serem convocados ao serviço militar em seu país, em guerra com o Vietnã, eram mantidos por suas famílias durante dois anos em missão religiosa num país estrangeiro.
Uma das características da Igreja dos Mórmons era proporcionar a esses jovens uma boa orientação moral e religiosa, oferecendo-lhes além disso a oportunidade de se dedicarem a atividades artísticas (teatro, música, participação em corais), intelectuais e esportivas , e aqueles que não estivessem trabalhando e quisessem aprender a evangelizar ou também o ofício de construtores, podiam ser mandados em missão para pregar a sua doutrina ou trabalharem como auxiliares na edificação de seus templos.
Naquela época em que frequentávamos a Igreja, eu, o Luis Almei Barros, o Inacio Canabarro, o Celiar Belmonte, o Ney Flores, o Erni, a Dirce, o Mário Sastre, o casal Etchitchury, o casal Aragonez, as irmãs Tetamanzi e vários outros membros jovens e adultos, sob o comando do chefe Waldomiro Radke, no início da década de 60, um desses jovens missionários norte-americanos vindos para o Brasil, vou chamá-lo de Elder West, por motivos familiares teve de retornar ao seu país em pleno período de convocação para o exército.
Convocado então, para lutar no Vietnã, acabou morto em combate, sendo uma das vítimas infelizes daquela guerra absurda que durou vinte anos, de 1955 a 1975.
Mais ou menos por aqueles dias, na década de 60, foi lançada a música Era um Garoto que Como Eu Amava os Beatles e os Rolling Stones, uma canção brasileira gravada pela banda Os Incríveis em São Paulo e mais tarde pela banda Engenheiros do Hawai no Rio Grande do Sul, quase como uma homenagem, eu diria, àquele nosso irmão, o Elder West, ex-missionário mórmom, que se sacrificou pelo seu país.

DEIXE UMA RESPOSTA