Curitiba do Futuro

0
123

Em março, dia 29, a capital paranaense completou 324 anos. A capital é conhecida pelos belos parques urbanos, por ser limpa e organiada e pelo seu sistema de mobilidade enfrente atualmente os desafios das grandes metrópoles para lidar com o crescimento. Por isso, busca investir em projetos que prezem pela prezervação do meio ambiente, aliado com o desenvolvimento econômico e social.

Mobilidade

Curitiba sempre organizou seu crescimento físico e territorial baseado em três aspectos: o transporte, o sistema viário e o uso do solo. A cidade que se organizou inicialmente ao lado da ferrovia foi crescendo e se expandindo. O primeiro eixo estrutural de transporte da cidade ligava o bairro Pinheirinho ao bairro Santan Cândida, o que fez com que a cidade fosse se ampliando nesse entorno. Em seguida, veio o segundo eixo Norte-Sul, a Linha Verde, que gerou a criação de muitas empresas na região do contorno sul da cidade.

Com o crescimento da nova região industrial, a Cidade Industrial de Curitiba (CIC), surge a necessidade de conectar essa região para melhorar a mobilidade da população seja por meio de transporte público ou particular. O Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) tem o plano de cinco novos eixos de transporte que serão paralelos uns aos outros, cruzarão o eixo Norte-Sul e farão a ligação Leste-Oeste da Cidade – são as chamadas conectoras.

O objetivo é que se deem mais opções de deslocamento à população, criando novas conexões entre os diferentes eixos. Além de favorecer o desenvolvimento central dos bairros.

O Ippuc aponta a necessidade da construção e reformulação de vias para ligar a região Oeste (CIC) ao Leste (bairros próximos aos limites com as cidades de Pinhais e São José dos Pinhais). “Hoje o transporte público de Curitiba está preso pelo Interbairros. Pelo sistema de conectoras haverá muito mais possibilidade de deslocamento”, explica o presidente do Ippuc, Reginaldo Reinert.

Uma preocupação é em relação à ocupação da região Sul da cidade de Curitiba, dos bairros Umbará, Tatuquara e Caximba. “A região precisa ser ocupada de forma recional e com investimentos em soluções para o transporte”, explica Reinert.

Saúde

O projeto Saúde já é um conjunto de ações que buscam diminuir as filas para conseguir um exame, uma consulta médica e cirurgia por especialitas. É uma ação continuada com início em março de 2017, mês do aniversário da cidade, por meio de Mutirões da Saúde.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorPelo antigo Egito
Próximo artigoCuritiba da Lava Jato
Redação
Portal com informações fidedignas sobre a capital paranaense. Saiba a programação dos locais mais badalados de Curitiba, visitando www.curitibalegal.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA